10 Regras de Marketing que não deve esquecer em 2019

Marketing Digital

10 Regras de Marketing que não deve esquecer em 2019
Regras que podem facilitar os seus objetivos de Marketing

Neste artigo vai encontrar uma seleção de regras de marketing intemporais, que o ajudam a compreender melhor o que pode fazer para melhorar o seu negócio.

São ideias simples de compreender e eficazes, que tornam as estratégias mais assertivas.

Isto é, são regras de marketing que se focam no longo prazo e no crescimento consistente, ao invés de crescimento rápido e inconstante.

As ideias que se seguem surgiram das mentes de mestres como Ogilvy, Al Ries e Jack Trout.

Posto isto, seguem se então as 10 regras de Marketing que vão ajudá-lo a definir a sua estratégia!

1. É muito melhor ser se o primeiro do que ser se o melhor

O primeiro navegador a fazer o percurso marítimo entre a Europa e a Índia foi Vasco da Gama. Poderá não ter sido o melhor, mas como foi o primeiro ficou imortalizado na história.

Lembre se disto quando pensa em marketing

A Gillette foi a primeira lâmina de barbear.

Não tomamos ácido acetilsalicílico, mas sim Aspirina.

Hoje em dia, quando os homens precisam de aparar a barba utilizam uma Gillette. Quando estamos com dores de cabeça tomamos uma Aspirina.

Maior parte do sucesso em marketing vem do facto de sermos os primeiro na mente dos clientes. Sermos top-of-mind.

Um último exemplo, adaptado aos nossos dias

A Uber iniciou atividade em 2009, a Lyft em 2012

Dizemos que vamos de Uber ou de Lyft?

2. Se não consegue ser o primeiro, crie um novo espaço onde seja o primeiro

Quer entrar no mercado mas já existem duas grandes companhias que sugam todos os clientes.

Se não consegue ser o primeiro de dada categoria, crie uma categoria onde possa ser o número 1.

Por exemplo, o Starbucks não foi a primeira cafeteria. 

Foi sim, a primeira cafeteria onde as pessoas podiam ter os mesmo produtos de alta qualidade estivessem nos Estado Unidos ou em Portugal.

Crie um nicho onde possa ser o número 1.

3. É melhor ser se o primeiro na mente dos clientes que o primeiro no mercado

Se não conseguir atingir o proposto nas regras #1 e #2 agarre-se a esta.

A Apple não era empresa número um a vender computadores de uso pessoal.

Apesar disso, quando ouvimos falar em PC’s a nossa mente vai logo buscar a Apple.

Uma das principais razões para tal se ter sucedido foi o facto de o nome ser extremamente fácil de reter. O facto de ter concorrido contra nomes como IMSAI 8080 e MITS Altair 8800 também ajudou bastante.

A Apple é hoje uma das maiores empresas do mundo, em parte porque se destacou da competição no início.

Qual o nome que mais facilmente se lembra? O de uma fruta comum ou uma amálgama de números e letras?

4. O Marketing não é uma batalha de produtos, é uma batalha de percepções

Grande parte do marketing passa pela percepção. Se as pessoas vêm os nossos produtos ou serviços como bons, eles são bons. Se pelo contrário vêm como de má qualidade, são maus. É simples.

Os casos das águas Voss ou Fiji mostram bem a ideia de como a percepção joga a favor de uma marca.

A sua água é pouco ou nada diferente a qualquer outra marca de água engarrafada, mas são vistas como muito mais do que águas.

A Fiji, por exemplo, é uma água de chuvas tropicais, filtrada por rochas vulcânicas que termina a sua viagem num aquífero subterrâneo…

Por esta explicação, a Fiji é vista como a melhor água engarrafada do mundo.

Este fator também é apelidado de princípio do “toda a gente sabe”

Todos sabem que os carros alemães são melhores do que os carros americanos.

Presume-se que qualquer carro alemão é melhor do que automovel feito na América. Quer isto seja verdade ou não, é  a percepção dos consumidores.

Pode ter o melhor produto ou serviço que o mundo já viu mas, a partir do momento em que o mundo o percepciona como abaixo do esperado, ele torna-se nisso mesmo. 

5. O conceito mais poderoso em Marketing é ser dono de uma palavra na mente dos consumidores

Esta é um extensão da regra #1 É muito melhor ser se o primeiro do que ser se o melhor, mas numa perspectiva mais micro. Neste caso, ser-se dono de uma categoria é também ser-se dono de uma palavra.

Ou seja, a Heinz é dona do Ketchup

A Hellmann’s é dona da Mayonnaise.

A Milka, dona dos chocolates.

E a Coca-Cola é sinónimo de refrigerantes

Se a sua marca consegue ser dona de uma palavra na mente dos seus potenciais clientes, tem uma forte possibilidade de se tornar no dono dessa categoria.

6. Duas Organizações não podem ser donas da mesma palavra na mente dos consumidores

Imagine que cria uma empresa de consultoria digital e tenta posicionar-se bem no termo “Consultores Digitais”

Rapidamente se vai aperceber que “Consultores Digitais” é um termo muito competitivo, todos os negócios de consultoria digital o usam.

Mais vale posicionar-se de uma forma diferenciadora, já que não vai conseguir “atropelar” todos os outros negócios até ao topo dessa área de negócio.

7. Tenha uma percepção realista de como está posicionado entre os seus concorrentes, na mente dos consumidores

Muitos negócios e marcas convencem-se de que são os melhores e têm imensa dificuldade em admitir de que estão no segundo ou terceiro lugar.

Ter esta mentalidade torna-se prejudicial.

Uma forma certa de se prejudicar é através da má percepção de quem é e de onde está posicionado no mercado.

Se a sua marca não é a melhor mas vende-se como a melhor, os consumidores vão desconfiar.

Ser-se honesto e focar-se nas suas forças é a jogada certa.

Em suma, possíveis consumidores sabem onde está posicionado em relação à competição. Seja honesto e comunique as suas forças!

8. Se for o número 2, não siga o líder

Normalmente, uma marca ou organização que sejam o número 2 em dada categoria tenta competir diretamente com o número 1 sendo como ele, mas melhor.

Em vez disso, deve explicar o que diferencia e tentar ao máximo destacar-se.

Caso seja o número 2, seja diferente e tenha orgulho nisso!

9. Não tenha medo de tomar a posição oposta à dos seus concorrentes

Na grande maioria das indústrias, existe um líder e esse líder reclamou vários termos.

Por exemplo, o McDonald’s tem os termos “barato”, “rápido” e “kid-friendly”.

Caso esteja a começar uma cadeia de fast-food, não deverá utilizar estes termos porque já são associados ao McDonald’s.

Deve optar por se diferenciar desse líder, tal como foi dito na regra #8.

O marketing contra os seus adversários não tem de ser vencê-los no jogo deles. Em vez disso, vença num campo diferente, sendo o oposto do que eles são.

10. Ser honesto e admitir onde não somos tão fortes é bom marketing

O marketing tem má reputação porque muitos marketeers fazem duas coisas que roçam na mentira.

Uma é fazer com que as marcas aparentem ser mais fortes do que realmente são.

A segunda, é esconder as fraquezas e puxar a atenção para outro lado.

O consumidor não é estúpido.

David Ogilvy disse “O consumidor não é burro. É como a sua mulher.”

Por exemplo, o Listerine teve nos Estados Unidos, durante alguns tempo, o slogan “… o sabor que odeia duas vezes ao dia”

Ser-se honesto em relação a uma fraqueza pode tornar-se numa força!

Não perca tempo! Roube algumas ideias

Estas são regras de marketing retiradas de alguns dos maiores gurus do, não tenha medo em testar uma!

Caso sinta que sozinho não vai lá, a Teclativa está aqui para o ajudar a tornar o seu negócio mais forte.